sexta-feira, 4 de setembro de 2015

PASTOR PORTO DIZ QUE É INDEPENDENTE E SE LANÇA PRÉ-CANDIDATO A PREFEITO

"Não acho que exista alguém mais afeito à unidade do que eu. Mas não me subestime! Não ousem me colocar debaixo dos braços ou dos pés! Não tentem calar a minha boca! Não me mandem, SEMANTICAMENTE, sair do caminho! Eu sou livre! Eu sou independente! Eu tenho uma caminhada para caminhar. Quem discordar, que caminhe a sua”, diz o vice prefeito em matéria publicada hoje no Jornal O Progresso.

Presidente municipal do PPS, o vice-prefeito Luiz Carlos Porto disse ontem que ainda não estão decididos os personagens das eleições do ano que vem. Para ele, “neste momento ninguém ganhou e ninguém perdeu. As torcidas podem torcer, mas a partida ainda não terminou”.

Ele afirmou que a “realidade é essa: convergência é construída com perseverança, paciência, respeito e valorização de todas as partes envolvidas. Eu trabalho com o tema da unidade (dentro da igreja) há 30 anos. Inclusive, já escrevi um livro sobre o assunto intitulado CASA DIVIDIDA.

A construção da unidade é tarefa árdua. Eu sou sempre a favor da unidade por objetivos superiores e onde todos saem vencedores”.

Segundo ele, “agora, quando numa pequena e singela reflexão pessoas reagem com violência semântica, fica claro para qualquer leitor que 2016 JÁ ESTÁ DECIDIDO para um e outros têm que aceitar que nem um cordeirinho. NADA DISSO! Neste momento ninguém ganhou e ninguém perdeu. As torcidas podem torcer, mas a partida não terminou”.
Também questionou sobre ele ser eleitoralmente menor que Rosângela, todo dia, em muitos lugares da cidade e, sobretudo, no seu segmento evangélico. “Estou afirmando a minha candidatura. E por que faço isso? Por um sonho pessoal e porque sei que a partida não terminou. Todos estamos jogando ainda. E nada é mais volátil do que definição de candidatos”.

Também opinou sobre os comentários de que sempre foi vice por imposição de alguém e que não tenha voto. “Disseram que sempre sou vice por imposição de alguém e que não tenho votos. VAMOS AOS FATOS:

1- Em 2004, o Jomar convidou a diretoria da Associação de Pastores para uma conversa no gabinete. Objetivo: queria que a Associação indicasse um nome para fazer chapa com ele na reeleição. Naquela época tínhamos 4 nomes excelentes, que estavam no auge de suas carreiras políticas (Enéas Rocha, Joel Costa, Arnaldo Alencar e Luis Gonçalves). Eu fui o escolhido. Havia apenas 2 anos que eu tinha voltado para Imperatriz (depois de 27 anos fora). Por que eu, naquela época? Nome, relacionamento, apoio dos pastores da cidade.

2- Em 2006 Dr. Jackson decidiu que queria um evangélico como companheiro de chapa. Procurou os líderes da Assembleia de Deus de São Luís. 30 dias gastaram em busca do perfil ideal. Ninguém. Apelaram para Imperatriz. Eu fui encontrado e escolhido. Por quê? Nome, apoio, relacionamento, conhecimento.

3- Em 2010, eu estava no PSDB para disputar pra deputado federal. O jornal O Estado do MA, baseado nas pesquisas que o grupo Sarney fazia, publicou por duas vezes os prováveis eleitos. Nas duas vezes eu estava lá. Ele afirmou ainda que Jackson insistiu que “eu fosse novamente com ele pra disputa. Entendi que deveria atendê-lo. Não me arrependi. Trocar um mandato de deputado federal para estar com Dr. Jackson naquela campanha foi uma lição de vida pra mim. O reconhecimento dele valeu mais que um mandato”.

E continua: “Então, minha gente, e, sobretudo, aos que detestam minha participação política, EU ESTOU AQUI DE NOVO! Não estou na mídia nem nos blogueiros (aqui e acolá, algum, bondosamente, faz uma nota positiva sobre mim), mas estou andando pra frente. Não tenho nenhum líder político sobre mim que diga ‘vai por aqui, ou pare’. Sou livre, autônomo e determinado. Obviamente, do meu jeito, silencioso, sem torcida organizada”.

4- Em 2012 eu era pré-candidato a prefeito. Cheguei a ter 16%. Nosso líder era Flávio Dino. O mais bem avaliado seria o candidato do grupo (Pastor, Carlinhos, Sanches). Fui escolhido.
Passei um tempo orando a Deus, ouvindo meus familiares, amigos, pastores e pessoas nas ruas. Cerca de 10 pessoas ouvidas, 8 diziam: aceite ser vice, Madeira não terminou seu trabalho.

Neste período, Madeira estava constantemente pedindo ao Pastor Raul e ao meu cunhado Joel Costa que me convencesse a aceitar ser vice com ele. Uma semana depois da nossa aliança, o resultado da pesquisa foi o crescimento de 10%. O que foi isso? Nome, apoio, votos, história.

5- Dizem que eu não tenho voto. No ano passado, com minha campanha para deputado federal que teve um orçamento tão pequeno quanto uma campanha para vereador de São Pedro dos Crentes, TIVE MAIS VOTOS EM IMPERATRIZ do que 3 amigos milionários, com campanhas milionárias”.

E finaliza dizendo que “É por isso que minha pré-candidatura continua caminhando pra frente. O JOGO NÃO TERMINOU!Vem das ruas ou vem da torcida organizada e dos blogues?

Não acho que exista alguém mais afeito à unidade do que eu. Mas não me subestime! Não ousem me colocar debaixo dos braços ou dos pés! Não tentem calar a minha boca! Não me mandem, SEMANTICAMENTE, sair do caminho! Eu sou livre! Eu sou independente! Eu tenho uma caminhada para caminhar. Quem discordar, que caminhe a sua”.

CLAYTON NOLETO DÁ UMA BOA NOTÍCIA PARA OS MORADORES DOS BAIRROS VILA PALMARES, PARQUE DAS MANGUEIRAS E VILA INDEPENDENTE

Demanda histórica será resolvida na periferia de Imperatriz na região do "grande  Ayrton Sena".
Parceria da Secretaria de Infraestrutura do Estado e a Caema pode colocar fim a uma demanda histórica que resulta em décadas de muito sofrimento para os moradores do grande Ayrton Sena, que integra os bairros Vila Palmares, Parque das Mangueiras e Vila Independente.

A convite do vereador Eudes Sousa, o secretário de Infraestrutura do Estado e presidente do PCdoB de Imperatriz, Clayton Noleto, acompanhado do vereador professor Adonilson (PCdoB), esteve reunido no fim de semana com as lideranças comunitárias e os moradores. Ele ouviu o desabafo e os relatos de muitos transtornos provocados pela falta d’água nos bairros.

As lideranças comunitárias relataram que nunca souberam o que é ter água nas torneiras em boa parte dos bairros que formam o grande Ayrton Sena.

O servente de pedreiro João Lima do Nascimento disse que, além de não contar com a infraestrutura das ruas, a única maneira de obter água é recorrer aos carrinhos de mão, latas d’água e à solidariedade dos vizinhos que possuem poços. “Desde o surgimento do bairro, nunca tivemos o privilégio de saber o que é uma água tratada, tomar banho num chuveiro e fazer as tarefas domésticas sem precisar andar com baldes, latas e carroças à procura de água”, desabafou o morador.

Clayton Noleto, depois de ouvir os moradores, explicou que não poderia inaugurar o sistema de distribuição de água do Santa Lúcia sem que o benefício seja estendido aos moradores do grande Ayrton Sena.

O secretário de Infraestrutura disse que conversou com o gerente da unidade de negócios da Caema de Imperatriz e esta semana será realizado um estudo para diagnosticar se o poço possui pressão suficiente para abastecer as residências dos quatro bairros.

De acordo com ele, se for comprovado que há condições, será necessário o investimento de R$ 130 mil para a canalização e distribuição da água. Porém, segundo Clayton Noleto, explicou aos moradores, caso não haja a condição estrutural necessária, a Caema terá que perfurar um novo poço, num investimento orçado em R$ 300 mil. “Caso não seja possível aproveitar a estrutura que vai beneficiar o Santa Lúcia, faremos o investimento em parceria com a Secretaria de Infraestrutura”, afirmou Clayton Noleto.

Segundo o vereador Eudes Sousa, o diálogo independente de coloração partidária e tem garantido a prioridade às demandas emergenciais da população. “Eu estava constrangido de ver o sofrimento das pessoas e, ao procurar o Clayton Noleto, fui bem recebido, assim como a população agora teve uma resposta rápida para um problema sério no bairro”, disse o vereador.

Clayton Noleto também se comprometeu em verificar que tipo de empecilho dificulta a conclusão das obras do PAC, o Programa de Aceleração do Crescimento no bairro. “Este problema impede que o bairro seja incluído por exemplo em obras do programa Mais Asfalto, do governo estadual”, disse o secretário de Infraestrutura.  (Mozart Magalhães).

terça-feira, 1 de setembro de 2015

BRASILEIRO DESCOBRE "CURA DO CÂNCER" É PRESO

Pesquisas com promissores resultados são barradas e impedidas de avanços, na USP de São Carlos-SP.

É claro que a indústria farmacêutica e os magnatas que lucram com as doenças estão impedindo esta estupenda descoberta. 


LEIA A REPORTAGEM ABAIXO:

Gilberto Orivaldo Chierice coordenou as pesquisas com a fosfoetanolamina sintética (Foto: Reprodução/EPTV)
Gilberto Chierice coordenou as pesquisas com a fosfoetanolamina sintética (Foto: Reprodução/EPTV)
Um professor aposentado da Universidade de São Paulo (USP) acredita que conseguiu desenvolver uma substância que pode curar o câncer. Gilberto Orivaldo Chierice coordenou por mais de 20 anos os estudos com a fosfoetanolamina sintética, que imita uma substância presente no organismo e sinaliza células cancerosas para a remoção pelo sistema imunológico. “A fosfoamina está aí, à disposição, para quem quiser curar câncer”, disse o especialista.

Como mostrou o G1, a droga era fornecida gratuitamente em São Carlos, mas uma portaria da universidade proibiu a distribuição até o registro junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e pacientes que tinham conhecimento dos estudos entraram na Justiça para obter as cápsulas. Procurada, a Anvisa disse que não identificou um processo formal para a avaliação do produto em seus registros e que não houve por parte da instituição de pesquisa nenhuma iniciativa ou atitude prática no sentido de transformar o produto em um medicamento. Segundo a agência, para obter o registro, além da requisição, é preciso apresentar documentos e análises clínicas.

Mas, de acordo com Chierice, a substância, também conhecida como fosfoamina, não chegou ao mercado por “má vontade” das autoridades. Ele disse que procurou a Anvisa quatro vezes e foi informado que faltavam dados clínicos. "Essa é a alegação de todo mundo. Mas está cheio de remédios neste país que não têm dados clínicos", desabafou.

Pediu então à agência um hospital público onde pudesse realizar novos testes - os pesquisadores afirmam que, nos anos 90, a substância foi testada em um hospital de Jaú -, mas contou que não obteve retorno. A Anvisa nega que tenha sido procurada formalmente.

Ação

O professor aposentado explicou que, com a ingestão das cápsulas, as células cancerosas são mortas e o tumor desaparece entre seis e oito meses de tratamento. "Mas é evidente que um caso é diferente do outro", afirmou, reforçando que o período pode variar de acordo com cada sistema imunológico.
Contou ainda como a substância age e afirmou que já há outro país interessado em fabricá-la. “Nós podemos ter que comprar esse medicamento a custo de mercado internacional porque já está começando a aborrecer ficar todo esse tempo tentando e não conseguir”, disparou na entrevista, reproduzida a seguir.

EPTV - Que substância é essa? 

É a combinação de uma substância muito comum, utilizada em muitos xampus de cabelo, chamada monoetanolamina, e o ácido fosfórico, que é um conservante de alimentos. A combinação dessas duas substâncias gera uma substância chamada fosfoetanolamina, que é um marcador de células diferenciadas, que são as consideradas células cancerosas.

EPTV - Como ela age no organismo?

Essa substância nós mesmos fabricamos dentro das células de músculo longo e no fígado, no retículo endoplasmático. Então, não podemos chamar de produto natural porque é sintetizado, mas o seu organismo já fabrica com o mesmo propósito: defender você durante todo o tempo da sua vida de células que se diferenciam.


EPTV - Na prática, essa substância reforça a que a gente já tem? Como ela age na célula cancerosa?

Primeiro, ela passa do trato digestivo para o sistema sanguíneo, vai até o fígado e forma uma reação junto com o ácido graxo. O que é esse ácido graxo? É a substância que vai alimentar o tumor. É a energia do tumor. E ela entra junto com essa substância dentro da célula. Quando ela entra, essa célula está relativamente parada, ou seja, a organela principal dela, chamada mitocôndria, está parada. Ela obriga a mitocôndria a trabalhar e, quando ela obriga, ela se denuncia para o sistema imunológico e a célula é liquidada, é a chamada apoptose 

EPTV - A eficácia da substância foi mais evidente em algum tipo de tumor?

Os tumores têm células parecidas no seu mecanismo, chamadas de anaeróbicas. Células de tumor anaeróbico, todas elas cediam pela ação da fosfoamina.

EPTV - Não houve um tipo de tumor em que a eficácia foi maior?

Não é possível fazer essa medida porque, primeiro, nós não somos médicos. Teria que ter uma parceria com o médico para ele mostrar a eficácia de cada um. Isso nunca foi feito. 

EPTV - Tem alguma contraindicação? A cápsula tem que ser ingerida antes de a pessoa fazer quimioterapia?

Não existe “antes” porque ela não funciona como coadjuvante. Se você detona o sistema imunológico da pessoa, os resultados não são bons porque a ação da fosfoamina necessita que o sistema imunológico esteja intacto. Se existir uma quimioterapia que não destrói o sistema imunológico, perfeito, pode ser combinado.

EPTV - O senhor tem uma ideia de quantas pessoas foram beneficiadas por essa substância nos últimos 20 anos?

Nos últimos tempos nós fazíamos cerca de 50 mil cápsulas por mês. Isso equivale, a 60 cada pessoa, a 800 pessoas ou próximo de mil pessoas por mês. Agora quantas pessoas foram beneficiadas eu não sou capaz de dizer porque muitas delas, que eram pacientes terminais, estão aí, vivas. Então não sei dizer quantas pessoas foram curadas.

EPTV - O senhor publicou esse estudo em diversas revistas científicas. Quantas no total?

Hoje eu suponho que há de nove a dez trabalhos nas melhores revistas de oncologia do mundo, que são revistas internacionais, junto com o pessoal do [Instituto] Butantan, e explicam o mecanismo de ação da fosfoamina.

EPTV - Houve interesse de outro país nessa fórmula. O que pode acontecer?

Nós podemos ter que comprar esse medicamento a custo de mercado internacional porque já está começando a aborrecer ficar todo esse tempo tentando e não conseguir, criam dificuldades que eu não sei explicar. Eu sou um homem de ciência de 25 anos, eu não sou nenhum amador e, por não ser amador, eu conheço os trâmites das coisas, como funciona. Se não for possível aqui, a melhor coisa é outro país fazer porque beneficiar pessoas não é por bandeira. A humanidade precisa de alguém que faça alguma coisa para curar os seus males.

EPTV - A cura do câncer existe?

Não só pela fosfoamina, deve existir por uma dezena de outras coisas, mas a fosfoamina está aí, à disposição, para quem quiser curar câncer. 

EPTV - E por que a aprovação está demorando tanto? Por que a Anvisa está demorando tanto para liberar?

A razão é muito simples: eu acho que existe uma má vontade. Porque, se existisse boa vontade, isso já tinha sido aplicado em hospitais do governo, como dados experimentais, fase I, fase II, fase III, tudo isso já está pronto. Agora o que falta é dentro das normas da lei, os dados clínicos, assim me disseram na Anvisa todo esse tempo. Eu acho que existe uma má vontade.

EPTV - E, enquanto essa "má vontade" continuar, muita gente com a doença, e a cura está mais próxima do que muita gente imagina, não é?

É, eu penso que sim. A cura está bem mais perto. E se dissessem ainda que falta aprimorar alguma coisa, teria que ser aprimorado daqui para frente, não daqui para trás. Daqui para trás está tudo pronto.
EPTV - Essa substância é a cura do câncer?
Eu acredito que sim, eu acredito que sim. Não só essa como um monte delas que poderiam vir de derivados.

Entenda o caso

No dia 17/08/15, o G1 mostrou que pacientes com câncer brigam na Justiça para que a USP forneça cápsulas de fosfoetanolamina sintética. De acordo com usuários, familiares e advogados, a substância experimental acumula resultados satisfatórios no combate à doença, inclusive com relatos de cura, mas não possui registro junto à Anvisa e, por isso, só está sendo entregue por decisão judicial.

A droga, cuja cápsula é produzida por menos de R$ 0,10, levou ao surgimento de discussões na internet e um morador de Santa Catarina que a distribuía gratuitamente foi preso. Em entrevista ao G1, Carlos Kennedy Witthoeft afirmou que está "com a consciência em paz”.

"ÁGUA PARA TODOS": GOVERNO DO ESTADO INVESTE NA CAEMA PARA BENEFICIAR MAIS DE 100 BAIRROS DA CAPITAL


O Governo do Estado tem realizado diversos investimentos para melhorar a vida dos ludovicenses, um deles é o programa ‘Água para Todos’ que está a pleno vapor facilitando o cotidiano de quem vive na capital maranhense. 

Levar água a todos os lares, melhorar o abastecimento e por fim ao rodízio de água na capital maranhense, são algumas das prioridades do programa que está sendo executado, com diversas ações sendo realizadas, simultaneamente, pelo Governo do Estado, por meio da Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema). Entre as quais, a perfuração de 12 poços de grande vazão, a substituição de 19 quilômetros da adutora do Sistema Italuís e o reforço de vazão desse sistema.


Uma das beneficiadas com estes investimentos foi a Margarath Costa, moradora do Bairro de Fátima. “Melhorou muito porque não tínhamos água aqui. A água chegava apenas para quem tinha bomba e eu ficava sem água, ia dormir 3h da madrugada para tentar encher o meu tanque”, disse Margareth.

Os investimentos feitos para solucionar os problemas de abastecimento de água na região central de São Luís, que é mantida pelo Sistema Sacavém/Batatã, foram com a perfuração de seis poços de grande vazão. O primeiro poço inaugurado foi o da Praça do Viva do Bairro de Fátima, e o segundo, foi o poço da Vila Passos. E já estão sendo concluídos e serão entregues nos ainda neste mês, os poços da Praça da Misericórdia, do Outeiro da Cruz, do Parque do Bom Menino e do Monte Castelo.

A dona de casa Conceição de Maria Almeida, 41 anos, fez questão de acompanhar a entrega do sistema na Vila Passos, bairro onde mora desde que nasceu relatou que sempre sofreu com o problema de falta d´água e que custa a acreditar que não precisará mais abastecer os tonéis de sua casa. “Parece um sonho ter água todo dia em minhas torneiras”, comemorou ela.

“Acreditamos que com esses investimentos teremos outro panorama neste tema tão agudo, que é o abastecimento de água no estado. Além disso, estamos investindo outros recursos no remanejamento da adutora do Italuís”, explicou o governador Flávio Dino relatando a preocupação com este tema é fundamental para melhorar a qualidade de vida dos ludovicenses. “Destaco aqui a nossa preocupação com a população mais pobre, fazemos questão de garantir os direitos de todas as pessoas e esta é a meta: abastecimento de água de qualidade nos lares dos maranhenses”, afirmou.

Para o prefeito de São Luís, a parceria que não acontecia no passado foi revertida e hoje governo e prefeitura andam juntos para implantar investimentos e melhorar o abastecimento de água para a cidade. “Estamos concretizando ações importantes realizadas em parceria entre a Prefeitura de São Luís e o Governo do Maranhão para darmos solução a um problema antigo na capital, que é a falta de água regular na casa das pessoas”, disse Edivaldo Holanda Júnior.

O presidente da Caema, Davi Telles, relata que nos oito primeiros meses de gestão, por orientação do governador Flávio Dino, tem sido realizados grandes investimentos, os maiores desde a década de 1980, quando foi construído o Italuís. “Esses investimentos vão desde a fundamental obra do reforço de vazão para acabar com o rodízio histórico de água na capital, passando pela construção de poços. O ‘Água Para Todos’ é o item número um do programa do governador Flávio Dino e tem sido tratado dessa maneira desde o primeiro dia de gestão”, destacou Davi Telles.

Já para resolver o problema de abastecimento de água na região Cohab/Cohatrac (abastecida pelos Sistemas Paciência I e II), onde a população sofre há anos com a intermitência de água, estão sendo perfurados mais seis poços de grande vazão, em parceria com a Defesa Civil. Além disso, 35 poços estão em recuperação na zona rural de São Luís, melhorando a distribuição de água para diversas comunidades.

A obra de substituição da adutora do Sistema Italuís, nos 19 quilômetros do Campo de Perizes, está em fase final de execução, com a implantação da estrutura metálica que vai permitir a travessia da tubulação sobre o Estreito dos Mosquitos, que separa a Ilha de São Luís do continente. Com um diâmetro maior, a nova adutora, além de eliminar a possibilidade de rompimentos, vai permitir o aumento da vazão de água bombeada em 200 litros por segundo.

O diretor-presidente da companhia explicou que por determinação do governador Flávio Dino, a Caema está lançando o edital de licitação para contratação de empresa para elaboração do projeto da obra de reforço de vazão, a ser implantado no Km 22 da adutora do Sistema Italuís. Segundo ele, essa é uma obra prevista desde a década de 1980, mas que nunca foi implantada, e que consiste na construção de uma elevatória, de mais de 170 metros de altura, que vai dividir a adutora em duas, à altura do Km 22, já no continente.

“O governador Flávio Dino já disponibilizou recursos da ordem de R$ 100 milhões para esse reforço de vazão, que vai permitir o rebombeamento de água do Sistema Italuís, com um incremento de mais 1.000 litros por segundo. Isso é o suficiente para acabarmos com a intermitência, com o rodízio, no abastecimento de água nas áreas atendidas pelo Italuís”, pontuou.


Áreas que serão beneficiadas com o reforço do Italuís

ZONA 01 (parcialmente, pois é abastecida pelo Sistema Sacavém/Batatã, que recebe reforço do Italuís)

Centro, São Pantaleão, Madre Deus, Goiabal, Codozinho, Vila Bessa, Belira, Lira, Parte da Areinha, Macaúba, Apicum, Camboa, Vila Bangu, Diamante, Vila Passos, Coréia de Baixo, Coréia de Cima, Sítio do Meio, Alto da Boa Vista, Retiro Natal, Liberdade, Tomé de Sousa, Fé em Deus, Floresta e Monte Castelo (trecho).

ZONA 04

Jardim São Cristóvão, Tirirical, Solar das Mangueiras, São Bernardo, Vila Brasil, Cohapam, Parque Universitário, João de Deus, Sítio Pirapora, Estação Rodoviária, Vila Itamar I e II, Parque Jaguarema, Conjunto Cial, Alameda dos Sonhos.

ZONA 05

São Francisco, Ilhinha, Morrinho, Jaracati, Ponta d’Areia, Ponta do Farol, São Marcos, Calhau, Renascença I e II, Residencial Novo Tempo II, La Ravardiere, Alto do Calhau, Recanto dos Nobres, Cohafuma, av. Litorânea, Solar dos Lusíadas, Solar dos Lusitanos, Conjunto Turu I II e III, Jardim Eldorado, Loteamento Brasil, Divinéia, Olho d’Água, Sol e Mar, Vila Luisão, Santa Rosa, Turu Velho, Matões, Parque Vitória, Vivendas do Turu, Vila São José, Canudos, Terra Livre.

ZONA 06

Vila Bacanga; Ufma, Sá Viana Novo, Sá Viana Velho; Jambeiro, Vila Dom Luís; Vila Isabel; Vila Embratel; Vila São Benedito; Vila Resende; Vila Primavera; Anjo da Guarda; Fumacê; Vila Mauro Fecury I e II; Vila São Luís; Vila Nova; Bonfim; Vila Ariri; Vila Sete de Setembro, São Raimundo; Vila Alto da Esperança; Gancharia; Vila Itaqui; Porto do Itaqui. (Assessoria)

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

CASO KAYLANE: ASSASSINO DIZ QUE "O MONSTRO" QUE EXISTE DENTRO DELE FOI MAIS FORTE

Foto: Pinheiro. Réu confesso, Alcino diz que seu lado
monstro falou mais alto, foi mais forte...
Foi revoltante, triste mesmo assistir hoje pela manhã no Programa Bandeira 2, o matador da jovem Kaylane, de maneira fria e até arrogante, confessar o bárbaro crime contra a vida de uma pobre garota de 13 anos. 

Crime que vem repercutindo instensamente e que infelizmente mais uma vez coloca nossa cidade de maneira negativa aos olhos do resto da nação.

O açougueiro e marceneiro Alcino Vilarins de Oliveira, de 49 anos, que confessou ter estuprado e assassinado a golpes de arma branca, Kaylane Ferreira Frazão, de 13 anos. 

O miserável ainda tentou filosofar, justificar seu ato insano dizendo que "todos temos um monstro dentro de nós" e que no caso dele esse monstro teve supremacia, foi mais forte; que o ato sexual com a garota não havia sido satisfatório, então resolveu matá-la. Simples assim!


É pensar, caros leitores, como nossas crianças estão a mercê de malucos, doentes, que não titubeiam em fazer o mal. Pensar que um maldito desses já foi até  candidato a vereador em Imperatriz, nas eleições municipais de 2012. Ainda bem que tirou apenas 11 votos.

Só nos resta apelar para a proteção divina e ser vigilantes com nossos filhos, atentos, pois o mal está nos rondando... Que Deus nos proteja!


Entenda o crime


O corpo da adolescente foi encontrado sem roupa na tarde desse sábado (29), na Vila JK, com perfurações de arma branca no pescoço, barriga e nas pernas. Kaylane, estava desaparecida desde da noite da última sexta-feira (28).

Prisão

O réu confesso, Alcino Vilarins foi preso pela polícia na madrugada deste domingo (30). Em depoimento ao delegado regional de Imperatriz, Eduardo Galvão, contou com frieza que estuprou e matou a menina porque ela resistiu em ter relações sexuais com ele.


Lista com nomes de mulheres

Uma lista com nomes femininos foi encontrada na casa de Alcino Vilarim, o nome de Kaylane era o primeiro da sequência.

De acordo com o delegado regional, Eduardo Galvão, na casa do assassino confesso da menina de 13 anos, foi encontrado, também, um segundo caderno de anotações com termos que se referem a armas e morte. O material recolhido na casa será encaminhado para a perícia.


População incendeia casa de assassino 

A população revoltada incendiou a casa onde residia Alcino Vilarim de Olivieira, que confessou ter assassinado, brutalmente, a menina Kaylane Ferreira, de13 anos.

Na manhã desse domingo, a Polícia Militar (PM) foi informada de um grupo de pessoas iria atear fogo, também, na casa onde mora uma irmã de Alcino Vilarim. A casa fica nas imediações do local em que o corpo da menina foi encontrado.

De acordo com o Capitão Lima, da PM, é grande o fluxo de curiosos em frente à casa dos familiares do assassino.

“A polícia foi chamada pra manter a ordem. O homem já foi preso e vai pagar pelo que crime que cometeu, a família não tem nada a ver com o caso”, disse o oficial.

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

FLÁVIO DINO: "É PRECISO DAR PASSOS MAIS LARGOS NA MELHORIA DA PARTICIPAÇÃO FEMININA NA POLÍTICA"

O governador do Maranhão, Flávio Dino  afirmou ser a favor da existência de reservas de cotas para ocupação feminina no parlamento brasileiro. Quando foi deputado federal, Flávio Dino votou pela aprovação das cotas para mulheres. “Mas não basta ter cotas, é preciso dar passos mais largos com a melhoria da qualidade da participação feminina na política. Que as mulheres entrem na política por sua legitimidade na participação popular, e não apenas por serem esposas ou filhas,” disse, durante evento na capital maranhense.

A defesa da ampliação dos espaços femininos na política brasileira foi feita durante o Seminário “Mais Mulheres na Política”, conduzido com a articulação de esforços do Senado Federal, da Câmara Federal e contou com o apoio no Maranhão do Governo do Estado e da Assembleia Legislativa. Na ocasião, Dino homenageou as mulheres maranhenses que têm grande importância social e politicamente, como as quebradeiras de coco babaçu e a médica Maria Aragão, comunista que liderou importantes movimentos pela Democracia no Maranhão no século XX.

Ele afirmou ainda que, como governador, tem estimulado a participação das mulheres pelo número significativo de pastas comandadas pelas mulheres, estabelecendo políticas sociais direcionadas e também pela mobilização social, incentivando e participando de eventos semelhantes. “A mudança de verdade não é meramente administrativa, é preciso estimular a mudança de pensamento, a mudança de práticas e a participação da sociedade na política, efetivamente,” disse.

Com a presença das senadoras Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) e Regina (PT-PI), dos deputados federais Eliziane Gama (PPS-MA) e Rubens Jr (PCdoB-MA), dos deputados estaduais Valéria Macedo (PDT), Francisca Primo (PT) e Fernando Furtado (PCdoB), bem como da secretária da Mulher, Laurinda Pinto, e da primeira-dama Daniela Lima, o evento mobilizou mulheres jovens, adultas e idosas na capital do Maranhão para discutir as propostas para aumentar a participação feminina nos espaços políticos, governamentais e partidários.

“Se preparem, meninas, que estaremos em breve em pé de igualdade nos parlamentos e em todos os espaços da sociedade,” estimulou Vanessa Grazziotin, na sua fala de abertura. Ela foi antecedida pela estudante e militante feminista, Débora Melo, que fez grande defesa da igualdade de gênero, econômica e de raça no Brasil.

Outras instituições que possuem representatividade feminina estiveram presentes no evento, como a Ordem dos Advogados do Brasil, Ministério Público, Defensoria Pública, o Conselho Estadual da Mulher e a União Brasileira de Mulheres.

Contra o preconceito na política

Segundo Dino, o Brasil ainda sofre com a discriminação feminina na política. “Ela é muito viva e hoje, para citar um exemplo, está traduzida nas críticas feitas à presidenta Dilma (Rousseff)”, disse, ao rechaçar que críticas ao governo e divergências políticas “se transformem em ataque à condição de mulher, a xingamentos sexistas,” completou. Para ele, são atitudes inaceitáveis que todos os brasileiros devem repudiar. (Ass. PCdoB).

OBRA DO PRESÍDIO DE IMPERATRIZ ESTÁ EM FASE DE ACABAMENTO E SERÁ ENTREGUE DENTRO DO PRAZO FIRMADO COM O CNJ, GARANTE O GOVERNO DO MA.

O Governo do Maranhão garantiu que vai entregar o novo presídio da cidade de Imperatriz até o dia 13 de outubro, prazo este que atende ao termo de compromisso firmado há dois meses com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ). 

Esta semana, o secretário de Estado de Administração Penitenciária (Sejap), Murilo Andrade de Oliveira, analisou os últimos relatórios enviados pela Supervisão de Obras e Reformas da Sejap que apontam o início da fase de acabamento. 

A construção do presídio de Imperatriz faz parte de um cronograma traçado este ano pelo Governo do Estado, por meio da Sejap, e que tem como meta abrir 1.698 novas vagas no sistema prisional maranhense, sendo que, deste total, 1.080 serão entregues até dezembro. Com a entrega da unidade carcerária, a cidade terá mais 210 novas vagas, que serão somadas a outras 369 vagas que já existem, e que estão distribuídas na Unidade Prisional de Ressocialização (UPR) do município.

“O contrato da obra foi assinado no início julho deste ano, e a ordem de serviço com início no dia 13 do mesmo mês. Portanto, seguindo os noventa dias firmados com a empresa, o prazo legal para a entrega do novo presídio de Imperatriz é para o dia 13 de outubro. Independentemente disso, estamos convictos de que vamos continuar honrando as ações de reestruturação do sistema prisional do Maranhão, e com o cronograma proposto para Imperatriz também não será diferente”, afirmou Murilo Oliveira.

O novo presídio de Imperatriz é composto por 18 celas amplas, que atendem às normas técnicas exigidas pela LEP, e que nos próximos quarenta dias deverão “desafogar” as demais unidades da região que aguardam pela conclusão das obras. No canteiro de obras, os operários já trabalham na parte de acabamento na maior parte dos setores da unidade carcerária, pintando paredes, na fixação de grades, e na cobertura da quadra poliesportiva.

Conselho Penitenciário do Maranhão diz que obra atende padrões

Além de estar dentro do prazo previsto no cronograma, a execução das obras do novo presídio de Imperatriz passou por avaliação do Conselho Penitenciário do Maranhão, na semana passada. Cumprindo orientações do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), o presidente do conselho, Gerson Lelis Costa, realizou uma série de inspeções em unidades prisionais, instaladas na Região Tocantina do estado, como nas de Açailândia, Porto Franco e Imperatriz, conforme a Lei de Execução Penal (LEP).

“Toda a obra está dentro do padrão estabelecido pela LEP e pelo Depen. Foi essa a constatação que fizemos durante as inspeções realizadas. É claro que nas outras unidades, já prontas, recomendamos melhorias em alguns itens, mas nada que ferisse a boa aplicação da legislação”, afirmou o presidente do Conselho Penitenciário do Maranhão, acompanhado de psicólogos; e representantes das defensorias públicas Estadual e Federal; Procuradoria da República e Promotoria de Justiça do Estado.

Em Imperatriz, as unidades penais visitadas pelos conselheiros foram a Central de Custódia de Presos de Justiça (CCPJ), o Centro de Triagem, a Casa de Albergado, e a Penitenciária. “Durante a inspeção, eu e os conselheiros vistoriamos as instalações das unidades, tais como: salas de aula; ambulatório; pátio; onde é realizado o banho de sol dos internos; e setores administrativos, de assistência social e psicologia”, completou Gerson Lelis Costa, no relatório enviado semana passada a Sejap.

Unidades Balsas e Açailândia já foram entregues

Em menos de um mês da assinatura do termo de compromisso firmado com o CNJ, o Governo do Maranhão entregou prontas as Unidades Prisionais de Ressocialização (UPRs) de Balsas e Açailândia, abrindo 288 novas vagas. Até novembro, o governo estadual deve concluir as obras de reforma e ampliação nos presídios de Codó e Pedreiras, que juntas vão abrir 276 novas vagas.


Além de Imperatriz, a Sejap segue com a construção dos presídios de Pinheiro e Timon, cada um com 306 vagas; e para dezembro de 2016 está prevista a construção do presídio do município de São Luiz Gonzaga, que abrigará 312 presos na Região do Médio Mearim. As obras integram a planilha de construções emergenciais do Governo do Estado, orçadas em R$ 46 milhões. (Fonte: SEJAP)

PSDB REALIZA ENCONTRO REGIONAL NESTE SÁBADO EM IMPERATRIZ

Evento  ocorrerá na “Loja Maçônica da Rua Alagoas”  a partir das 8 horas da manhã
A informação é do presidente de honra do partido em Imperatriz o prefeito Sebastião Madeira que disse que esse encontro faz parte da estratégia do PSDB para se fortalecer em todas as regiões do Estado para as eleições do ano que vem. O partido, conforme, Madeira já realizou evento semelhante em Santa Inês, Itinga  e  “agora  será a vez de Imperatriz” informou.
Como tem ocorrido em todos os eventos do PSDB Maranhão o presidente estadual do partido o atual vice-governador  Carlos Brandão, já garantiu presença.
“Paralelo à discussão  sobre as questões locais nós também estamos seguindo a orientação da Executiva  Nacional para receber novos filiados.  Este ano já realizamos um grande ato de filiação,  e agora,   no encontro de sábado,  também  vamos receber um grupo de novos filiados”   completou Sebastião Madeira.
No último final de semana Madeira se reuniu com os novos dirigentes do partido em Imperatriz a quem  informou e delegou missões a serem realizadas para que o encontro reúna o maior número possível de tucanos e simpatizantes de Imperatriz e  região.
“Já mobilizamos  o PSDB Mulher, a JPSDB,  O PSDB Sustentabilidade e o ITV, para junto conosco elaborarmos uma programação que mostre a força do nosso partido que há 25 anos participa da vida política da nossa cidade e do nosso Estado” disse ontem o presidente municipal José de Ribamar Soares, o J. Ribamar.
O novo dirigente do PSDB de Imperatriz disse que para o evento de sábado estão sendo  contactados  todos os diretórios e provisórias do partido na região tocantina.
“Faremos um grande evento e esperamos a presença maciça de filiados e simpatizantes do nosso partido”  concluiu o presidente. (Da Assesoria)

sábado, 22 de agosto de 2015

GOVERNO REALIZARÁ AÇÃO PARA QUITAÇÃO DE IMÓVEIS DO CONJUNTO HABITACIONAL NOVA VITÓRIA, EM IMPERATRIZ

Panoramio - Photo of ICONJUNTO HABITACIONAL
 NOVA VITÓRIA. IMPERATRIZ MARANHÃO.
A Secretaria de Estado de Gestão e Previdência (Segep), por meio da Empresa Maranhense de Administração de Recursos Humanos e Negócios Públicos S.A (EMARPH-antiga Cohab), estará com uma equipe em Imperatriz, no período de 24 de agosto a 4 de setembro, para negociar a quitação de 319 residências do Conjunto Habitacional Nova Vitória. A ação é uma determinação do governador Flávio Dino, que possibilitará aos mutuários deste conjunto a quitação de débitos dos seus imóveis por um valor simbólico.

A ação é voltada para mutuários com contratos assinados a partir de janeiro de 1988. Pelo valor de R$ 620,00 (seiscentos e vinte reais), eles poderão quitar seus débitos, ficando isentos do pagamento do saldo devedor.

Além de ratificar o direito ao título de propriedade das habitações aos mutuários, a ação governamental também assegura proteção social a estas famílias, ao lhes facultar a aquisição de moradia digna, financiamento de reforma e ampliação, elevação do patrimônio familiar e geração do processo contínuo de herança.

Os interessados em obter mais esclarecimentos e negociar as quitações dos imóveis, poderão buscar atendimento, a partir do dia 24 de agosto, na Unidade Integrada Nova Vitória, localizada na Rua D, Quadra 05, s/n°, no Conjunto Habitacional Nova Vitória. O atendimento será realizado durante toda a semana (incluindo sábado e domingo), das 8 às 12 horas e das 14 às 18 horas, totalizando 12 dias de ação.

Para ser contemplado com o benefício, o mutuário do imóvel deverá apresentar os seguintes documentos (originais e cópias):

. Contrato de Promessa de Compra e Venda registrado no Cartório do 7º Ofício Extrajudicial;

. Certidão de Registro do Imóvel (emissão do Cartório);

. Procuração Pública (caso tenha adquirido o imóvel de uma outra pessoa);

. Carteira de Identidade e o CPF;

. Certidão de Casamento ou, se solteiro(a), Certidão de Nascimento;

. Termo de Partilha (no caso de falecimento do mutuário).

Para prestação de outros esclarecimentos aos mutuários, a EMARPH disponibilizou os telefones: (99) 98109-2062 / TIM e (99) 99202-9572 / Vivo – Imperatriz: . (98) 3214-8693 / 3214-8698 / 3214-8716 – São Luís.

AMOR INCONSEQUENTE: MULHER É PRESA TENTANDO LEVAR MACONHA PARA O NAMORADO NA CADEIA

Sarlene Pereira, 24 anos, foi presa na manha deste sábado quando tetava entrar na CCPJ com maconha escondida nas partes íntimas, segundo ela para entregar ao namorado Rui Alcântara Sousa que ali se encontra preso a quase um ano por assalto.

Sara, como é mais conhecida, foi levada para o Plantão Central e em seu depoimento disse que foi a primeira vez que estava levando droga para o namorado e que só o fez porque este lhe ameaçava. Sara é mãe de duas garotas gêmeas e mora no Bairro Vila Nova.

Segundo o repórter fotográfico Antonio Pinheiro, em contato com a mãe de Sara, esta disse que a mesma "não ligava mais pras filhas", que havia mudado muito, vivia intranquila por causa do namorado preso.

Agora Sara vai ficar mais perto dele, presa também, porém longe das filhas que estarão sob a guarda da avó, que de certa forma já cuidava das duas.

Qual será o destino de Sara? 

Geralmente essas pessoas que tentam adentrar em presídios levando drogas acabam presas respondendo por tráfico de drogas, mas todo dia surgem as chamadas jurisprudencias que mudam completamente a aplicação das leis. Leia mais sobre isso:


Entrar com droga em presídio não é crime, decide TJ-RS
Tentar ingressar no presídio com drogas em cavidades íntimas, com o objetivo de entregá-las a terceiros, é conduta criminalmente atípica, e não crime. Seguindo essa linha de jurisprudência, ainda em construção, a maioria dos integrantes da 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul aceitou Apelação para absolver uma mulher que tentou entrar no Presídio Central de Porto Alegre com drogas escondidas na vagina.
No primeiro grau, ela foi condenada a pena de quase dois anos de reclusão, transformada, na dosimetria, em prestação de serviços à comunidade.
O relator do recurso no colegiado, desembargador João Batista Marques Tovo, confirmou os termos da sentença, mas ficou isolado em relação ao posicionamento assumido pelos colegas Diógenes Hassan Ribeiro e Nereu José Giacomolli. Ambos absolveram a ré com base no artigo 386, inciso III, do Código de Processo Penal — "não constituir o fato infração penal". O acórdão é do dia 23 de maio.
Meio ineficaz

O desembargador Diógenes Hassan Ribeiro, que lavrou o acórdão, afirmou que ficou comprovada a ineficácia absoluta do meio utilizado, já que, para entrar no estabelecimento prisional, a autora seria submetida a minuciosa inspeção. Tal entendimento vai de encontro às disposições do artigo 17 do Código Penal, que diz, ipsis literis: ‘‘Não se pune a tentativa quando, por ineficácia absoluta do meio ou por absoluta impropriedade do objeto, é impossível consumar-se o crime’’.
Ele criticou a aplicação do tipo penal do artigo 33, caput, da Lei 11.343/2006, ao caso concreto, que acabou condenando a ré no primeiro grau. Primeiro, porque, a seu ver, não incide no caso dos autos, em aplicação ‘‘racional e razoável’’, já que a conduta da autora se revelou atípica. E, em segundo lugar, porque esse tipo apresenta conteúdo múltiplo, na medida em que elenca diversos verbos nucleares para açambarcar todas as condutas relacionadas a drogas como típicas. Ou seja, não admite a tentativa.
Para o desembargador, a Lei procura justificar o fato de que o Estado não tem condições de, com segurança e num sistema lógico, localizar substância entorpecente nas casas prisionais.
‘‘Essa, portanto, a perversidade do sistema: prende, pune e condena mulheres que estavam tentando ingressar no presídio com substâncias entorpecentes. Vale dizer: prende pessoas em razão de outros presos e em razão da ineficiência do sistema prisional e do Estado’’, finalizou.
Dignidade humana

Além de se aliar às criticas ao tipo penal que levou à condenação da autora, o desembargador Nereu José Giacomolli deu provimento à Apelação com base em outro fundamento jurídico: a invalidade da prova por afronta à dignidade da pessoa humana. O respeito à integridade física e moral vem contemplado no artigo 5º, inciso XLIV, da Constituição Federal.
Por isso, explicou Giacomolli, o corpo da pessoa recebe potencialidade protetiva maior que a vida privada, a honra, a imagem (artigo 5º, inciso X), a casa (inciso XI), a correspondência ou a comunicação telefônica (inciso XII). Tal proteção explica por que a persecução criminal não se legitima na busca, a qualquer preço ou custo, da prova, sem a observância dos direitos fundamentais.
Nessa linha, afirmou que o Estado deveria lançar mão de metodologias menos invasivas da esfera íntima das acusadas. Isso porque, ‘‘desnudar, total ou parcialmente a mulher, colocá-la de cócoras, fazê-la girar, movimentar-se nessa posição, situa-se no medievo [Idade Média], inadmissível, em pleno século XXI’’.
Assim, a ‘‘extração’’ da prova do corpo da autora, por este viés, seria ilícita, a teor do que dispõe o artigo 157 do Código de Processo Penal — destacou.
‘‘Retirada e destruída a prova considerada ilícita, nada mais resta com potencialidade probatória a dar supedâneo a um juízo condenatório, pois tudo o mais decorre do flagrante ilegal. Por isso, dou provimento ao apelo para absolver a acusada, com fundamento no artigo 386, inciso VII, do CPP’’, fulminou o desembargador.
O caso

No dia 26 de outubro de 2010, por volta das 9h, Leidi Valéria Ferreira tentou entrar no Presídio Central de Porto Alegre com uma pequena porção decrack e de maconha alojada na vagina. As drogas, acondicionadas dentro de um preservativo masculino, foram descobertas pelas policiais femininas durante a revista.
Depois de ser presa e, posteriormente, liberada provisoriamente, Leidi apresentou defesa por meio defensor público. Afirmou que não é traficante e que só tentou entrar com droga no presídio por pressão do seu companheiro, que se encontra cumprindo pena e é usuário. Em síntese, garantiu ter sido a primeira vez que se envolveu neste tipo de delito.
Denúncia procedente

Em sentença proferida no dia 10 de agosto de 2012, o juiz José Ricardo Coutinho Silva, da 1ª Vara Criminal do Foro Regional do Partenon, em Porto Alegre, julgou procedente a Ação Penal manejada pelo Ministério Público estadual. Ele condenou a autora às penas do artigo 33, caput, com a incidência do parágrafo 4º (transportar drogas ilícitas); e do artigo 40, inciso III (dentro do estabelecimento prisional), ambos da Lei 11.343/2006.
O julgador rejeitou o argumento de que Leidi poderia ter sido ameaçada para fazer o transporte da droga para dentro do presídio. Para ele, caberia à denunciada, se realmente estivesse sob risco, denunciar a situação às autoridades — ao invés de cometer conduta criminosa. Logo, complementou, não se poderia falar em ‘‘coação irresistível’’ ou ‘‘inexigibilidade de outra conduta’’.
Como a ré é primária e não se dedica a atividades criminosas, o juiz substituiu a pena de prisão — arbitrada em um ano, 11 meses e 10 dias — por restritivas de direito de prestação de serviços à comunidade, pelo mesmo tempo em que permaneceria encarcerada, além de lhe impor pagamento de multa.
Clique aqui para ler a sentença e aqui para ler o acórdão.